s Como Lidar com a Dor do Coração

Como Lidar com a Dor do Coração

O tempo cura a dor?


Qual é o Tamanho da Dor que Sentimos?


Quem dera fosse fácil responder essa questão. Já notou como temos o hábito de camuflar o que estamos sentindo? Eu sempre tenho a tendência de responder que “Estou bem” ao ser questionada com a frase automática de cortesia - Tudo bem?

As vezes penso; e se realmente falasse o que estou sentindo, principalmente quando é pura tristeza... Creio que muitos sairiam correndo. As pessoas, em sua maioria, não querem realmente saber como estamos, mas esse post aqui é mais para trocarmos uma ideia sobre o tempo que levamos para administrar a dor que sentimos. Bora, vamos filosofar.
 dor de ser rejeitado.
como lidar com a dor, saborear a vida...




Creio que o fato de não querer explicar meus sentimentos aos outros me ajude, não gosto de mostrar as minhas fraquezas e sinceramente, não vejo muita vantagem em compartilharmos nossos sentimentos mais íntimos com todos, obviamente que existem as pessoas em que confio, curto escrever aqui, compartilhar com vocês, assim dá uma certa acalmada na alma.

Quando um amor passou, terminou a relação...

Só o tempo pode curar essa dor

Vocês acreditam na afirmação acima?


Juro, dói de verdade, parece que nunca vai passar. Meu cérebro entra em um momento de pânico, não sabe o que fazer para melhorar, e com vocês como é?

Passo por várias fases que vão de deitar e tentar fingir que não aconteceu, a negação. Fico passivamente contemplando o nada para que como em um passe de mágica a dor suma, parece que dá meio que uma anestesiada na dor e  toda aquela enxurrada de sentimentos. Sempre creio que é uma forma de não cair na depressão, tenho a esperança de sair daquele momento “bad ”, isso até ajuda, mas não completamente.

Será que dá certo esperar que o tempo nos auxilie?


Eu acredito que o tempo pode sim ser nosso aliado nesse período de transição. Quanto mais penso nisso, mais percebo que não é o tempo que vai me curar, mas ele é como se fosse uma vitamina para os meus sentimentos, como se conseguisse recarregar as minhas baterias novamente.

Deixo rolar, paro de me questionar tanto, de procurar um culpado, porque na maioria das vezes ele não existe.  As coisas foram assim, simplesmente, porque seguiram seu curso. Como tudo na vida foi uma sucessão de acontecimentos e decisões que fizeram a relação chegar ao fim. Mas se sair da posição de vítima, consigo ver que não há culpado ou vítima e que não devo jogar, tudo o que vivi naqueles dias, no lixo. Que nada, guardo todas as recordações do que foi bom  e não valorize tanto o que não rolou.

No final das contas, quem vai lidar com a sua dor, na realidade, sempre será você mesmo, só que para tudo há um momento certo, um momento onde se consegue enxergar com maior clareza os acontecimentos, as versões e os lados. É o momento de maturidade, de encarar aquilo que tanto machuca.

Em dados temporais - Quantos dias, semanas, meses devo esperar?


Qual é o tempo que devemos esperar para que consigamos entrar em conexão com os nossos sentimentos sem detonar a nossa autoestima? Difícil essa resposta, comigo isto acontece quando fugir da questão me sufoca mais do que lidar com ela.

Como se fosse um lixo no canto da minha alma e que ela grita que preciso jogar fora para que o novo venha. Para que aquele dia ensolarado chegue gostoso, me fazendo sorrir novamente.

Nesse momento ocorre a transformação e o meu eu interior diz. - Okay, já chega, estou pronto para seguir em frente.

A dor que mais fere, a dor dos relacionamentos íntimos



Já notei que há pessoa que consiga reagir melhor a um término de namoro que foi super intenso e durou, sei lá, uns 3 anos. E de repente , um relacionamento com a mesma intensidade de sentimentos, mas duração de apenas 3 ou 4 meses pode fazer com que a mesma pessoa se sinta acabada e sem chão. Então, na minha opinião não existe fórmula… Tudo depende da importância que você dá.

Creio que o melhor é não enterrar o sentimento, se não consegue lidar naquele momento, dá uma congelada nele, mas o deixe à vista, não deixe ele desaparecer sem ser completamente analisado por você.

Se nessa semana só dói, nesse mês, deixa ele ali parado até que seja possível pensar nele sem cair no choro ou desespero.

Não tenha vergonha das cagadas que faz no momento de dor, mandar aquele whats que seu racional diz, "segura " Fingir encontros fortuitos...

Continuar amiga do ex, como é possível?


Na verdade é algo muito pessoal e que, no meu caso, muda de relacionamento para relacionamento… Há os que nunca mais quero ver, hoje não condeno mais esse tipo de sentimento, eu os tenho e aceito bem esse meu lado mais “revenge”, por ter preguiça a vingança para aí mesmo, rs.

Existem os que no momento não rola continuar uma amizade, mas sei que por volta de uns seis meses serei capaz de construir esse novo formato de relação e, claro, têm os raros, os que não sinto a necessidade mórbida de me punir ou punir o ex-parceiro com um: - Nem ferrando vou ser sua amiga nas redes sociais, piorou pessoalmente, você é a versão do demo, tô fora, quero que se f, etc… Deixo fluir.

E como acontece essa diferenciação dentro da minha vivência?


Percebo que quando a relação foi sempre muito saudável, sem mentiras de ambos, trabalhada sempre com muito diálogo, em geral, chegamos juntos à conclusão que não está mais funcionando, que não está nos proporcionando o prazer que buscávamos de início e, que nos é importante, sendo assim terminar é uma solução saudável.

Já os demais casos sempre envolvem muita falta de respeito, seja uma mentirinha, seja a de trocar a prioridade da relação na minha vida ou na vida do meu parceiro e simplesmente não informar a outra parte que é assim que está naquele determinado momento. Ou, na pior das hipóteses, é a questão das traições e vácuos que um dos dois ou os dois fizeram.

O que pude perceber com o meu amadurecimento como pessoa

→A tristeza e a dor me fazem crescer, de verdade;
→E é muito legal, é educadora, a tristeza gera aprendizado;
→Mas se não trabalhar legal meu interno posso ficar meio cagona;
→Posso endurecer como ser humano, perder a leveza, deixar de ver a beleza do simples.
Mas enquanto não rola todo esse aprendizado podemos apaziguar o coração, baixar a dor com os amigos nos confortando. Privilegiar os amigos, as pessoas que nos fazem bem, as delícias culinárias, a prática de exercícios e, porque não, a contemplação.

Minha conclusão de como lidar com a dor e tristeza


Cada um tem seu tempo, aliás, cada tristeza tem seu próprio tempo, seu caminho, a mesma pessoa pode reagir com maior ou menor intensidade às experiências e dores semelhantes. Se respeite, cuide de si mesmo com carinho, lembre-se de sempre lhe oferecer oportunidades construtivas até que se sinta pronto.

É isso aí que tinha para compartilhar hoje e você como faz para dar uma trégua ao seu coraçãozinho quando está detonado pela dor e tristeza?

❥ Continue conosco, alguns posts que pode gostar



Se gostou compartilhe com os amigos e inscreva-se no FB | IG ou no blog ali ao lado. Obrigada pela visita. Até a próxima! 
PS: Comecei esse texto há um mês, deixei ele lá no cantinho, mexia de vez em quando… Mas hoje achei que era o dia de pari-lo, claro que se ficasse mais um tempo sairia diferente, mas isso já é frescura de escritora.
COMENTE GOOGLE+
COMENTE BLOGGER
Copyright © 2011 - 2017 Meus Dois Minutos