s Dar ou Não dar no Primeiro Encontro?

Dar ou Não dar no Primeiro Encontro?

Quer saber o que os homens pensam sobre dar ou não no primeiro encontro? Confira o resultado de nossa pesquisa.

Dar ou não dar no primeiro encontro?



Pelo menos uma vez na sua vida já se questionou sobre fazer sexo ou não no primeiro encontro, certo?



Por mais liberta, feminista ou porra louca que se seja, infelizmente, graças a nossa sociedade hipócrita que nos faz colocar na balança duas questões: nossa "vontade de transar" e do outro lado a repressão "o que ele irá pensar"



Quer saber mesmo o que ele irá pensar sobre dar ou não?

duvida- dar ou não no primeiro encontro
O que será que os homens pensam sobre dar ou não no primeiro encontro?

A maioria dos homens foi criada por mulheres reprimidas sexualmente por suas famílias, resultando em filhos com os mesmos valores.

Graças a essa mentalidade imposta é que, muito provavelmente, ele não verá com bons olhos a sua transa no primeiro encontro e nem ao menos saberá o porquê. Estará repetindo mecanicamente o que aprendeu.

Sim, aquele garoto super descolado, até defensor das causas femininas pode se transformar em um babaca de primeira grandeza.

Tá, nem todos, mas tenha isso em mente para quando for tomar a sua decisão.

Graças às mulheres que estão criando nossos homens de maneira mais igualitária com suas filhas. Talvez, você poderá estar com um homem de cabeça bacana e que sabe que não é o fato de uma mulher esperar o segundo encontro, um mês ou três meses (alguém consegue ainda esperar esse tempo?!) que fará dela uma pessoa virtuosa, capaz de respeitar as regras estabelecidas de comum acordo em uma relação.

E você o que pensa dentro do seu íntimo?

Provável estar cheia de angústia, sem saber qual é a melhor decisão nesse momento. Talvez já tenha quebrado a cara, acreditado naquela singela e estratégica “sinceridade” e tomou bonito.

E pode ter acontecido de não ter se segurado e ter feito sexo, amor, transado, ou seja lá como nomeie e ter se dado muito bem, ter realmente tido vontade de continuar a vê-lo. Pode ter sido recíproco e desde então os encontros evoluíram para um namoro. Quiçá tenha sido apenas uma transa, mas daquelas de lembrar por longos anos.

Estou mexendo nesse texto há uns oito dias, conversei com amigas, conhecidas, e como sou democrática, também pesquisei homens, de perfis variados, através de questionário. Mas fui além e pesquisei meus amigos, tanto os mais chegados, brothers mesmo, até os que conheci nos últimos tempos. Quer ver o que falaram?  O que colhi nas entrelinhas e que só reforça a ideia que precisamos refletir sobre essa decisão para evitar ficarmos aborrecidas? Vamos lá!



A resposta dos jovens de 16 a 25 anos


Os homens mais novinho, de 16 a 25 anos, dizem sempre que questionam as mulheres que liberam no primeiro encontro. Quando indaguei sobre essa desconfiança, em sua maioria, disseram que o raciocínio é: - Se liberaram para eles podem liberar para qualquer um.

Acredito que eles ainda têm muita insegurança sobre o quanto podem satisfazer suas parceiras e preferem não arriscar.

E se elas gostarem mais do jeito que o vizinho faz.? É como dizem - Se você acha que está certo ou errado não importa, de qualquer forma, você estará sempre certo.


Menino, as mulheres dão valor ao sexo sim, mesmo novinhas, sabem que não é o item mais importante.


Já o conjunto da obra, ou seja, o amor, o carinho, o antes e o depois importam mais do que uma aventura e se de repente uma menina foi pra cama com você no primeiro encontro pode ser que ela não seja fácil, mas que sinta algo diferenciado por você. Talvez, seja um cara que aos olhos dela é incrível.


Aliás, essa coisa de fácil faça me o favor... Também podemos muito bem querer apenas sexo sim, cuidamos de nossas vidas tão bem ou melhor que vocês, pensem um pouco o quanto isto pode ser maneiro. Não ter todo aquele peso de ser o provedor/cuidador da mocinha frágil e poder ser o companheiro que compartilha os bons momentos.

Menina, agora a minha observação vai para você.
Se estiver em um relacionamento ou envolvimento com meninos dessa faixa etária, saiba que terá que lidar com essa realidade, seja consciente e uma vez tomada a decisão, se for a de ter uma noite de prazer, lembre da camisinha, faça sem expectativa, curta o momento. Se rolar algo depois, sinal que essa era, a princípio, a vibe de vocês. Então ótimo, o cara é um dos “grandes”. Se não rolar, pense que se usaram/curtiram mutuamente e, espero tenha sido pra lá de bom.




Confiram agora as respostas dos homens a partir de 26 anos


Eles são mais maduros, seguros de suas habilidades, cientes até a segunda página dos direitos das mulheres, valorizam menos essa questão.

Os homens entre 26 e 35 anos ainda falam, em grande parte, que não ligam muito para o tema discutido aqui. Em conversa descontraída, sempre davam aquele risinho nervoso do tipo, “não acredito que entrei nessa roubada e vou ter que responder isso”.

Muitos deles, ilustraram com uma historinha do tipo “Nossa, já namorei/noivei/casei durante anos com uma garota que transei na primeira noite e o oposto também já aconteceu.” Entende-se por oposto o de transar com a moçoila e não querer mais nada depois.

Meninas, cuidado, sem julgamento. Lutamos para termos nossos direitos e se eles não nos procurem depois, temos que respeitar. Afinal, pode ser que não sejam cafajestes como sua mãe ou avó diziam, eles apenas acham que não rolou uma química mais forte.

Muitos dos entrevistados falaram que "A única coisa que pega mal com meus amigos (nunca com eles) é o de a mulher que quer levar a mesma vida que homem".

- Entende-se “a mesma vida de homem” o fato de transar com quem bem entender, muitas vezes, até mesmo, somente pelo prazer, não tendo sentimentos envolvidos.

Louco isso, não? Eles vendem, em sua maioria, uma imagem de super amigos dos direitos femininos, que não irão nos julgar, mas no momento em que os deixamos livres para responderem o que pensam começam a “dar defeito”. Deixo claro que não são todos, porém, alguns que são meus amigos me surpreenderam com esse tipo de argumentação. Até por considerar que eram bem cabeça feita, enfim. Acaba servindo de lição, não para julgar, mas para termos mais atenção sobre como estamos criando nossos meninos.

Agora, o mais surpreendente mesmo foi a lição dos mais maduros, tranquilos em relação ao tema, sua sexualidade, homens com mais de 40, 50, 60 e até 80 anos. - Sim, fiz questão de conversar com várias faixas etárias e que até onde sei, ainda possuem vida sexual ativa. (A terceira idade transa viu molecada!).

Os maduros são tão bacanas, alguns quase se sentiram ultrajados com esse questionamento, não acreditaram que exista ainda o pensamento de subjugar a mulher, de usar sua liberdade sexual como uma arma contra ela, de tentar ironizar ou até mesmo obscurecer a sua reputação.

Então, acredito que houve, em algum momento, uma ruptura da educação sexual nas últimas duas ou três gerações, não sei se é o efeito internet que “deu” a muitos o “direito” de saírem julgando os demais, se o fato da mulher hoje em dia não depender deles os assustam.

O texto está enorme, se leu até aqui “is my hero”.

Considerações Finais Sobre Dar ou Não no Primeiro Encontro


Assim como nós, mulheres, os homens também têm as suas fragilidades e os seus tabus, este assunto está muito mais mal trabalhado na cabecinha deles do que na nossa, principalmente nos mais jovens.

Se quer ir em frente no primeiro, segundo ou décimo encontro vá, não fique preocupada com a opinião de outra pessoas. Analise se você não está se julgando, veja quais são os seus valores, para este e outros tantos temas não existe a resposta correta. Apenas a sua escolha é importante e deve ser levada em conta.

Mas por favor, independente do que resolver, não coloque na conta dos homens aquelas cobranças de:

“Você disse que me amava”

Ele disse que te amava, mas talvez estivesse enganado, quantas vezes se equivocou em seus sentimentos?

“Você disse que jamais me abandonaria”
Sim, no momento que ele disse, provavelmente foi sincero, mas as coisas se transformam e agora não quer mais você como um relacionamento homem/mulher, mas talvez queira continuar a ser seu amigo.

“Você disse que eu era a única”
No momento em que ele falou, realmente era a única que ele desejava, agora a realidade é outra.

“Você disse que me respeitava”
O que chama de desrespeito? Ele não fazer um pedido de casamento no dia subsequente à noite de amor ardente??? O que podemos considerar desrespeito verdadeiro seria comentar o que fizeram em uma roda de amigos, caso contrário, não, ele apenas não quer prosseguir, entenda e aceite.

“Eu acreditei em você”
Que bom que acreditou, mas será que também não fantasiou um bocadinho? Será que filtrou tudo o que ele disse e acreditou que após ele provar da sua p… Jamais lhe esqueceria? Volte um pouco o que foi dito e veja se a sua interpretação não foi equivocada.


Pare de se vitimizar, mulher, se não consegue segurar a sua carência não saia bancando a adulta, feminista e liberada. Assuma que tem o emocional mais frágil e se proteja para não ter que cuidar de muitas feridas. Contudo, viver é arriscar-se, é se aventurar, ninguém sabe sobre o futuro, podemos apenas fazer o melhor possível no presente, incluindo aí escolhermos nossos crushs da melhor forma possível, aprendendo a superar, a tirar o melhor de cada experiência vivida.


Por hoje é isso, pessoal. Cansei de escrever, imagino que você de ler, rs… Tentei resumir o máximo que deu, sei que não ficou um dos melhores textos, mas relações humanas sempre são complexas.
Se gostou curta e seja amigo(a) nas redes sociais. Compartilhe, indique e se quer dar a sua opinião pode fazer abaixo, por e-mail, mensagens e directs. Fique bem, até a próxima filosofada.




❥ Continue conosco, alguns posts que pode gostar





Se gostou compartilhe com os amigos e inscreva-se no FB | IG ou no blog ali ao lado. Obrigada pela visita. Até a próxima! 


Continue por aqui olhando outras filosofadas clique ao lado 💤 ... ou quem sabe, algumas Receitas Rápidas, basta clicar 🍩🍞🍨, facinho!
COMENTE GOOGLE+
COMENTE BLOGGER

0 comentários:

Postar um comentário

Aguardo os comentários. bjs

Copyright © 2011 - 2017 Meus Dois Minutos